Portugal participou no Cyber Coalition 2015, o maior exercício de ciberdefesa da NATO

Dezembro 30, 2015

noticias-03

No período de 16 a 20 de novembro realizou-se o exercício de ciberdefesa da NATO, Cyber Coalition 2015, tendo Portugal integrado o exercício através do Centro de Ciberdefesa (CCD) e elementos da capacidade de ciberdefesa dos três ramos das Forças Armadas, bem como de entidades civis que integraram uma célula de resposta nas instalações do CCD no edifício do Estado-Maior General das Forças Armadas, em Belém.

Este exercício, que decorreu em simultâneo em vários países que integram a NATO ou são seus parceiros, tem como principal objetivo a colaboração entre as várias nações e parceiros na resolução de vários desafios reais que foram sendo colocados aos participantes, nomeadamente através de ataques informáticos em vários ambientes no ciberespaço.
No caso português, para além dos três ramos das Forças Armadas (Marinha, Exército e Força Aérea) o CCD conduziu o exercício, que contou com a participação de empresas civis, como a Redshift Consulting, Edisoft, Fireeye e a Checkpoint, que com os seus recursos e experiência na área, colaboraram na resolução dos incidentes que foram sendo colocados durante o exercício.

No dia 19, o CCD recebeu a visita de várias entidades nacionais e internacionais, como o Adjunto para o Planeamento e Coordenação, Tenente-General Pimenta Sampaio, o Diretor Geral do Gabinete Nacional de Segurança, Vice-Almirante Torres Sobral, o Coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança, Dr. José Carlos Martins, os Directores Técnicos dos ramos, entre outros, recebendo da parte da organização uma apresentação do exercício e o cenário criado para o mesmo. Seguidamente visitaram a sala de operações, na qual receberam as informações sobre as operações em curso para a análise e resolução dos incidentes.

O Cyber Coalition é o principal exercício NATO de defesa cibernética e foi criado em 2008, sendo que Portugal participa neste exercício desde 2011.